Mesa SUS é instaurada em Juatuba

Os trabalhadores da saúde de Juatuba receberam um importante marco para abertura institucional do diálogo e das negociações acerca das questões ligadas ao mundo do trabalho. Foi publicada no Diário Oficial do Município a Portaria nº 5, datada do dia 04 de maio de 2021, que institui a Mesa Municipal de Negociação Permanente do SUS. Essa é uma conquista da categoria que poderá ter as demandas discutidas nesta instância. A criação da Mesa era uma das reivindicações do Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde (Sind-Saúde) Núcleo Regional Betim. O Sindicato reuniu com a gestão em março deste ano, quando tratou da instalação da Mesa SUS e de outras pautas apresentadas pelos trabalhadores.

Ler mais

Mês da enfermagem: música embala luta pela valorização da categoria

Ritmo e som ao mês da enfermagem e a luta pela aprovação do Projeto de Lei 2564 – que institui o Piso Nacional da Enfermagem!! O Sind-Saúde/MG convoca a categoria da enfermagem para avançar na mobilização nacional neste mês de maio, período tão simbólico para esses profissionais, somado ao importante momento de tramitação do PL 2564 no Senado. Escute, curte e compartilhe a música que preparamos para embalar a luta pela VALORIZAÇÃO DA ENFERMAGEM:

Ler mais

Salário dos trabalhadores da saúde de Vespasiano é o pior entre cidades da Região Metropolitana de BH

Uma das queixas quase unânime dos profissionais da saúde de Vespasiano é a desvalorização salarial da categoria. Esse sentimento é confirmado na prática, já que a prefeitura de Vespasiano carrega o triste título da cidade que paga pior seus profissionais da saúde. Os dados são do comparativo do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômico (Dieese) feito em janeiro deste ano. O estudo foi pedido pelo Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde (Sind-Saúde/MG) e aponta para uma grande lacuna entre os salários. Vespasiano está na última colocação em todos os cargos pesquisados.

Ler mais

1º de Maio: Respeito à vida, mais direitos e emprego decente

Os movimentos sociais e centrais sindicais engrossam as fileiras na luta por respeito à vida, pagamento de auxílio emergencial no valor de R$ 600 até o fim da pandemia, vacinação em massa para toda a população, geração de emprego e renda, defesa das empresas públicas e a luta contra a reforma Administrativa, proposta de Bolsonaro que destruirá os serviços públicos. Além das pautas, também traz destaque à importância das políticas referentes à saúde dos trabalhadores e a defesa do SUS.

Ler mais