Unificar as carreiras da saúde

Ter, 07 de Agosto de 2018 20:11 0 COMMENTS
Imprimir

Os representantes do sistema estadual de saúde se unem para a construção de uma carreira que respeite os direitos já adquiridos e concentra no crescimento por tempo e escolaridade

180806-ReuniaoCarreira-1

Dando sequência as discussões anteriores sobre a revisão do Plano de Carreiras no Sistema Estadual de Saúde, nessa segunda-feira (06/08), a Fhemig apresentou uma proposta de adaptação para atender as especificidades da Fundação. O documento apresentado pela Fundação prevê uma nova metodologia para a pontuação dos níveis de escolaridade fundamental, médio, intermediário e superior. Entre as mudanças, a proposta é aumentar o número de níveis e as posições que passaria de 10 para 25.

Os demais representantes dos órgãos, fundações e trabalhadores estão avaliando a proposta. Para o Sindicato é muito interessante o crescimento interníveis, mas referente a ampliação das posições para 25 torna a carreira um pouco mais lenda do que apresentado na proposta inicial. A Fhemig argumenta que em sua proposta organiza e qualifica um plano de carreira que atenda e respeite as especificidades de cada órgão e suas fundações. Os debates tendem através de regras gerais já acordadas na proposta, ampliar e organizar uma carreira que atenda a real necessidade apresentada pelos servidores ao logo dos anos, sem comprometer os avanços já conquistados.

Em reunião anterior também na Cidade Administrativa na sexta-feira (03/08), o grupo condutor da proposta representados pelo Sind-Saúde, gestões da SES, Fhemig, Funed e Hemominas discutiu e alinhou as especificidades de cada vinculada do Sistema. No mesmo dia, uma segunda reunião iniciou às 13:00 horas, com a representação da gestão SES , fundações e ESP e os respectivos representantes do Sind-Saúde. Bem propositiva, a reunião contou com a apresentação do Sindicato sobre as necessidades de mudanças urgentes na legislação da carreira hoje vigente. A avaliação é que ela está desatualizada, não atende a realidade do sistema único de saúde e puni severamente os servidores. Atualmente, a progressão é tão lenta que o servidor corre um sério risco de chegar a se aposentar sem percorrer o total das letras que hoje são 10 posições (A á J), funcionando como um zigzag contínuo.

A proposta que o Sind-Saúde busca assegura os direitos adquiridos respeitando o ingresso e regularizar distorções e correções monetárias, concentra no crescimento por tempo e escolaridade. O Sind-Saúde/MG defende que a carreia deve ser entendida em seu sentido mais amplo, como instrumento estratégico para o fortalecimento e consolidação das ações do estado em saúde.

180806-ReuniaoCarreira-0